AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Continua rebelião em Piraquara (PR)

O policiamento foi reforçado nas últimas horas na Penitenciária Central do Estado, em Piraquara. O tenente-coronel Xavier de França, que está comandando as operações no local, afirmou nesta quinta-feira à noite que as próximas estratégias para manter tudo sob controle se baseiam na missão da Polícia Militar quanto ao aspecto da prevenção, visando evitar uma fuga em massa dos presos.O reforço do efetivo, neste momento, destina-se a proteger toda a região próxima de Curitiba.Em comparação com as últimas rebeliões - quando a movimentação durante a madrugada e todo o tempo em que os presos estiveram rebelados era muito grande - a rebelião de agora é diferente, o que pode ser um sinal, segundo a PM, de que os presos estejam, por exemplo, cavando um túnel para tentar fugir."Estamos tomando todas as precauções, estamos colocados em diversos setores, temos guaritas em cima dos muros, de onde os policiais observam o movimento no interior do presídio, e repito, a missão da Polícia Militar é justamente prevenir e evitar uma situação difícil, que seria uma fuga em massa", disse o tenente-coronel PM Xavier de França.Quanto aos 26 agentes penitenciários que foram feitos reféns pelos líderes na penitenciária central, o tenente-coronel informou que, após a primeira negociação feita na manhã desta quinta-feira com o chefe de segurança, a PM foi informada de que todos os reféns estão bem, estão sendo bem tratados e até um dos sargentos, que é hipertenso, está sendo atendido por um dos presos que é enfermeiro e está dando acompanhamento e medicação para controle desse agente penitenciário.Nesta quinta-feira à tarde, a Secretaria de Segurança recebeu lista com o pedido de transferência de 23 presos que querem sair da Penitenciária Central de Piraquara para outros Estados."A maioria dos presos quer ir para São Paulo, um grupo para Santa Catarina, para o Amazonas, para o Pará, também para o Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Um grande número deseja ir para Sâo Paulo. Está havendo uma dificuldade, mas o secretário está mantendo contatos em outros Estados para tentar resolver isso e dar uma solução amanhã cedo", disse França.A situação continua calma. Só há movimentação do policiamento, porque a segurança foi reforçada nas últimas horas na Penitenciária Central do Estado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.