Contrabandistas presos denunciam extorsão policial no PR

Policiais federais de Cascavel, no interior do Paraná, receberam nesta segunda-feira, 19, denúncia de que, em Santa Teresa do Oeste, estaria em andamento o seqüestro e extorsão de um casal residente naquela cidade e que teriam em sua casa um depósito de cigarro paraguaio. Os seqüestradores seriam policiais que, para não prenderem o casal, teriam exigido a quantia de R$ 16 mil.Ao chegarem no município, os federais foram até a residência indicada, que estava abandonada. Ao perceberem que nas proximidades transitava um veículo Parati, fizeram a abordagem do automóvel, ocupado por Cleiton Sousa de Jesus e Márcia Eliane do Amaral. Márcia não confirmou ter sido vítima de seqüestro, mas denunciou que seu marido, Orlei Luis Pressotto, estava sendo vítima de extorsão. Naquele momento, estava exatamente tentando levantar dinheiro para pagar aos supostos policiais, que ainda estariam na cidade.Enquanto os policiais federais, acompanhados por Márcia e Cleiton retornaram à residência, foi iniciada uma busca na cidade e, com a ajuda da PM, Orlei foi localizado. Ele estava com R$ 3,8 mil.Cigarros contrabandeadosOrlei confirmou a versão de Márcia de que estava sendo vítima de extorsão e contou que três homens haviam aparecido em sua casa dizendo que receberam a informação da existência naquele local de um depósito de cigarros contrabandeados do Paraguai. Como de fato havia o produto na casa, teriam exigido os R$ 16 mil para não prenderem o casal em flagrante. Cinco mil reais já haviam sido entregues aos três homens e o restante do pagamento estaria sendo providenciado.Cleiton viajou de Foz do Iguaçu até Santa Teresa para emprestar parte do valor exigido na extorsão. A presença dos policiais federais na região fez com que os três homens desistissem do recebimento do restante do dinheiro e deixassem a cidade. Segundo Orlei, os homens ocupavam um veículo Gol. A Polícia Federal agora busca encontrar o veículo ocupado pelos três supostos policiais. Como na residência de Orlei havia 140 caixas de cigarro sem a documentação fiscal, ele foi preso em flagrante juntamente com Cleiton Souza de Jesus, que ajudou no transporte do cigarro a partir de Foz do Iguaçu até Santa Teresa do Oeste, onde a mercadoria ficaria armazenada até ser distribuída para outros envolvidos no contrabando. Os presos estão na Cadeia Pública de Cascavel. O veículo e os cigarros foram encaminhados ao depósito da Receita Federal.

Agencia Estado,

20 de março de 2007 | 15h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.