Contratação é legal e não tem influência de Eunício, diz sócio

Senador afirmou não acompanhar a gestão da Manchester; para Neves, prorrogação representa 'continuidade' de serviços

Leandro Colon, O Estado de S.Paulo

03 Julho 2011 | 00h00

Procurado pelo Estado, o senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) não quis comentar as relações da Manchester Serviços Ltda. com a Petrobrás. Ele alegou que está afastado da administração e pediu à reportagem que conversasse com seu sócio na empresa, Nelson Ribeiro Neves.

O sócio de Eunício afirmou que o fato de um senador e dirigente do PMDB ser sócio da empresa não influencia nos contratos com a Petrobrás. "O senador é sócio, tem cotas, mas não participa da empresa", afirmou. Neves disse que não há qualquer "ilegalidade" nas relações entre a Manchester e a estatal. "Tudo foi feito dentro da lei."

Neves argumentou que os contratos de 2010 e 2011 são fruto de "continuidade" de serviços fechados há anos, via licitações. "A dispensa de licitação é prorrogação", afirmou.

A versão do empresário contradiz a da Petrobrás. A estatal nega ter havido prorrogação e diz que recorreu à Manchester para fazer novos contratos enquanto não se conclui o processo licitatório.

O diretor da Manchester disse que cabe à Petrobrás explicar por que os contratos são feitos com duração de dois a três meses. Neves afirmou que sua empresa tem ligação antiga com a estatal, sem conotação política.

Sobre o contrato de R$ 21,9 milhões fechado em abril, por dois meses, Neves informou que são serviços "díspares" em relação aos demais contratos, que têm valores menores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.