Controlado vazamento de solvente em indústria do ABC

Está controlado o vazamento que foi identificado no interior da Ferroquim Indústria Brasileira de Produtos Químicos, uma empresa química desativada, localizada na Avenida Antônio Piranga, 2.363, no Jardim Canhema, em Diadema, no ABC paulista. Por volta das 21 horas de ontem o Corpo de Bombeiros foi informado sobre o vazamento do produto e um forte cheiro no local. Bombeiros, técnicos da Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb), e da Defesa Civil localizaram no interior da indústria três registros abertos irregularmente, dos quais vazava solvente. Segundo informações de Édson Gomes da Silva, único segurança que vigia a fábrica, pode ter havido uma sabotagem. Ele contou que foi dominado e agredido por dois homens encapuzados, que após o trancarem numa sala, invadiram a fábrica e quebraram os lacres dos tanques, o que provocou o vazamento de uma grande quantidade do produto.Após se acumular no pátio interno da empresa, o solvente escorreu pela tubulação de esgoto, atingindo o leito do Córrego do Couro, localizado na região. Os trabalhos de limpeza das galerias de esgoto se estenderam por toda a madrugada, e uma guarnição continua preventivamente no local sinistrado. Técnicos da Cetesb analisarão o produto, a toxidade e as conseqüências do contato com o meio ambiente. Até o momento não há informações sobre possíveis danos ao meio ambiente e a previsão inicial dos técnicos é de que os laudos das análises sejam liberados dentro de 72 horas.No total quinze carros do Corpo de Bombeiros e até técnicos do Instituto de Criminalística de Diadema estiveram no local. Segundo o tenente Fábio Leite, do 8.º Grupamento de Bombeiros do Grande ABC, e, que comandou os trabalhos pela manhã, por volta das 9 horas não havia mais perigo de explosão e às 9h30 a avenida - interditada num raio de um quarteirão - foi liberada ao trânsito. O problema está controlado e apenas um dos tanques ainda apresenta um "pequeno" vazamento. A ocorrência foi registrada no 3.º Distrito Policial de Diadema.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.