Controlador critica perda de autonomia

Líder diz em CPI que sistema está operando ''''no limite''''

Luciana Nunes Leal, O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2022 | 00h00

Beneficiado por um habeas-corpus, o sargento Carlos Trifilio, presidente da Federação das Associações Brasileiras de Controladores de Tráfego Aéreo (Febracta), depôs ontem na CPI do Apagão da Câmara e disse que a segurança aérea ''''piorou'''' desde que a Aeronáutica tomou medidas como reduzir o tempo de treinamento de controladores e tirar deles a autonomia para interditar pistas nos aeroportos.   Veja galeria   Afastado e preso, em junho, ele confirmou o conteúdo de uma denúncia feita à revista masculina Uni. Disse ontem que o sistema de monitoramento de vôos tem ''''controlador gago e surdo, sim, segundo definições do dicionário''''.''''O sistema está esgotado e operando no seu limite'''', afirmou. ''''As normas vigentes no País são perigosas.''''Trifilio citou o fato de oficiais aviadores terem assumido o comando das salas de controle e as decisões mais importantes, como nos casos de pousos em pistas molhadas. ''''Muitos são excelentes profissionais de defesa aérea, mas não atuam na aviação geral.'''' Também criticou a redução do tempo de formação de controladores, de dois anos para um ano. O ideal, disse, seriam quatro anos.Trifilio negou que os líderes de associações tenham comandado o motim de 30 de março. E disse que sete operadores do Cindacta-4, em Manaus, estão presos ''''em condições subumanas''''. Insistiu que o movimento está voltado ''''apenas para a segurança'''' e não reivindicou aumento salarial. Foi contestado por Vic Pires Franco (DEM-PA), que citou a gravação de uma telefonema de Trifilio a um colega: ''''O senhor disse que não aceitariam menos de R$ 4 mil.''''Ivan Valente (PSOL-SP) reagiu dizendo que a gravação era ação da ''''grampolândia''''. A Aeronáutica, que não se manifestou sobre as denúncias de Trifilio, informou que a conversa foi gravada porque o controlador ligou para uma linha operacional e todas essas ligações são gravadas, pois geralmente tratam de segurança de vôo.Mulheres de controladores protestaram no plenário, com mordaças e os pulsos amarrados. Seguranças impediram que estendessem uma faixa contra as prisões de controladores: ''''Foram punidos por falarem a verdade''''.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.