Controle automático falho pode levar a desvios súbitos

Em percurso errático, há possibilidade de acionamento ser danificado, retirando o comando da tripulação

Andrei Netto, PARIS, O Estadao de S.Paulo

03 de junho de 2009 | 00h00

Em caso de percurso errático, o acionamento do controle automático pode ser danificado, retirando o comando da tripulação e levando a aeronave a desvios súbitos de trajetória, com ganho ou perda radical de altitude e aceleração superior à suportada pelo equipamento. "Até mesmo uma ruptura da carenagem em pleno voo pode ter ocorrido nessas circunstâncias", entende Jean Serrat, ex-comandante e membro do Sindicato Nacional de Pilotos da França. Ouça a íntegra da entrevista de Nelson Jobim Veja o histórico dos maiores acidentes aéreos Acompanhe todas as notícias sobre a tragédiaSerrat lembra ainda que, caso o piloto tenha decidido alterar a rota do avião elevando de forma brusca sua altitude, com o intuito de evitar a instabilidade, o desempenho do aparelho pode ter sido insuficiente."Nem todos os aviões são capazes, seja por seu peso, seja por seu desempenho, de passar por sobre as tempestades que se formam na região da linha do Equador", explica. Todas essas cogitações, porém, esbarram nas condições meteorológicas diagnosticadas na noite do acidente. Segundo o Instituto Méteo France, as condições no momento do trânsito do avião pelo Atlântico não eram as piores possíveis. Prova disso: outras aeronaves atravessaram a mesma região de instabilidade sem sobressaltos.O certo é que sem a caixa-preta do aparelho poucas das dúvidas que cercam a queda do Airbus poderão ser esclarecidas. Daí a atenção extrema com que o Palácio do Eliseu e a Air France acompanharam ontem as informações provenientes do Brasil sobre a localização de possíveis destroços do voo AF 447. "Essa é uma pista muito séria", definiu o porta-voz do Estado-Maior das Forças Armadas da França, questionado pela agência de notícias France Presse (AFP). Hervé Morin, ministro da Defesa, garantiu que todos os esforços serão empreendidos "pelo tempo que for necessário" para encontrar o A330-200.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.