Contru fecha Centro de Tradições Nordestinas

O Departamento de Controle do Uso de Imóveis (Contru) interditou ontem o Centro de Tradições Nordestinas (CTN), no bairro do Limão, zona norte. O centro, que recebe em média 25 mil pessoas nos finais de semana, foi fechado por falta de segurança. A Prefeitura também revogou o decreto que dava permissão para o uso da área para a Rádio Atual, portanto, o terreno deverá voltar para o município. A revogação foi publicada no Diário Oficial do Município de sábado. A área toda tem cerca de 20 mil metros quadrados. Mas o deputado federal José de Abreu (PTN) garante que a área pública é de apenas 7 mil m2 e que o restante pertence a ele. Segundo o diretor do Contru, Clayton Claro da Costa, os freqüentadores do CTN corriam riscos. "Encontramos várias irregularidades. As instalações elétricas estavam precárias e próximas a locais de fácil combustão, botijões de gás estavam armazenados nas cozinhas de maneira irregular, não existiam equipamentos de combate a incêndio, entre outros problemas." O centro também não tem alvará de funcionamento. O diretor garantiu que a interdição do CTN não teve relação com o decreto da prefeita, que retoma posse de espaços municipais. "Fomos fazer a fiscalização a partir de uma denúncia apontando as irregularidades e estávamos preocupados com o Carnaval quando o número de freqüentadores poderia aumentar." Bailes suspensosPara que seja reaberto, o CTN terá de resolver as situações de risco. Mas os bailes carnavalescos no centro estão suspensos. O deputado disse que por trás da interdição do CTN está o interesse dos clubes que estão fazendo bailes de Carnaval. "É porque o ingresso não seria cobrado no centro e eles ficaram com medo de perder público. Por isso fizeram denúncias infundadas." Com relação ao pedido de devolução do terreno, José de Abreu disse que a única área que pertence ao Executivo funciona um parque de diversão. Ele pretende procurar a Prefeitura para negociar. Se devolver a área, terá que restruturar o CTN.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.