Contru interdita outro elevador de academia

Fiscais do Departamento de Controle do Uso de Imóveis (Contru) interditaram nesta sexta-feira um elevador da Fórmula Academia no Shopping Market Place, na zona sul de São Paulo. Dois equipamentos da filial do Shopping Eldorado foram lacrados na última quarta-feira, após o acidente que provocou a morte da estudante Vytória Evelinne D´Aloia Vilaça, de 6 anos. Ela ficou presa em um vão de 15 centímetros no elevador reservado para deficientes físicos."Nenhum dos três elevadores tem alvará", afirmou o diretor da Divisão Técnica do Contru, Luiz Tadeu Reis Stipp. Segundo a assessoria de imprensa da academia, o elevador vistoriado nesta sexta não estava em operação.A empresa alega que pediu as licenças à Prefeitura em 2000, mas não teve retorno. "Apresentaremos os documentos à Justiça", disse Manoel Carrano, dono da Fórmula. Para o diretor do Contru, Clayton da Costa, o Eldorado e a fabricante de elevadores Pozzani também devem ser responsabilizados.A Pozzani não quis manifestar-se, e o shopping alega não ser responsável pelas áreas internas dos locatários. Não existem na Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) regras específicas para equipamentos de transportes de deficientes físicos - a Prefeitura segue regras internacionais para dar as licenças."Sem a legislação, os equipamentos no Brasil estão longe dos níveis ideais de qualidade e segurança", diz Edison Luis Passafaro, diretor do Comissão Permanente de Acessibilidade (CPA), da Prefeitura. "Estamos estudando as leis internacionais e dentro de dois meses apresentaremos proposta ao Contru para termos leis próprias."A advogada da família de Vytória, Sandra Gebara, aguarda laudo do Instituto de Criminalística e resultados do inquérito policial para decidir que providências tomar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.