Contru pedia reformas desde 2005

Entre as alterações que precisam ser feitas está a instalação de novas portas corta-fogo e sensores de fumaça

Emilio Sant?Anna, O Estadao de S.Paulo

26 de dezembro de 2007 | 00h00

Desde 2005, o Departamento de Controle do Uso de Imóveis (Contru) pede ao Hospital das Clínicas constantes adequações no Prédio dos Ambulatórios e no Instituto Central. Há dois anos, os prédios passaram por mudanças, como instalação de fiação elétrica. O edifício atingido pelo incêndio começou a ser erguido em 1975. Em 1980, ainda inacabado, foi sendo ocupado em etapas. Com 115.155 m², dez pavimentos e ligado ao Instituto Central por rampas, escadas e elevadores, abriga o Laboratório Central, o Banco de Sangue, a Farmácia, o Centro Cirúrgico e o Centro de Materiais.Segundo o superintendente, José Manoel de Camargo Teixeira, adequações foram pedidas em função da ligação do prédio com o Centro de Convenções Rebouças. "A legislação muda constantemente e de quatro anos para cá essas modificações foram maiores." Entre as alterações ainda pendentes estão a instalação de novas portas corta-fogo e sensores de fumaça. Segundo Teixeira, não há atraso nas obras. "Contru e bombeiros fizeram uma série de exigências, mas há um tempo para fazer contratação e colocá-las em prática."O superintendente afirma que sensores de fumaça já foram instalados, mas ainda falta ligá-los a uma central de emergência. Após duas licitações, as portas devem ser instaladas no mês que vem. "O começo dessa obra deve ser imediato."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.