Convocados pela CPI dos Sanguessugas vão depor após eleição

A secretaria da CPI das Sanguessugas informou que os primeiros depoimentos dos petistas convocados nesta terça-feira para depor sobre o caso do dossiê Vedoin ocorrerão após o segundo turno das eleições. Os primeiros a serem ouvidos serão Jorge Lorenzetti, Gedimar Passos e Valdebran Padilha, no dia 31 de outubro, a partir das 14 horas.A CPI ainda vai marcar a data do depoimento de outros petistas convocados, como o presidente licenciado do PT, Ricardo Berzoini, e o ex-assessor especial da Presidência, Freud Godoy. Além deles, também foram convocados outros envolvidos na tentativa de compra do dossiê contra os tucanos: Hamilton Lacerda, Expedito Veloso e Osvaldo Vargas. Convite a ministrosA CPI aprovou ainda o convite de quatro ex-ministros da Saúde para depor na CPI. Os convidados são o governador eleito de São Paulo, José Serra (PSDB), e o prefeito de Piracicaba, Barjas Negri (PSDB), ambos do governo Fernando Henrique Cardoso, e Saraiva Filipe (PMDB) e Humberto Costa (PT), que atuaram na gestão Lula. Houve acordo entre os membros da comissão de transformar os requerimentos de convocação dos ex-ministros em convite. A comissão aprovou também a convocação de Francisco Rocha, o Rochinha, homem de confiança do ex-ministro da Saúde do governo Lula, Humberto Costa, para prestar esclarecimento aos parlamentares sobre o dossiê. A CPI quer esclarecimentos sobre a compra do suposto dossiê contra políticos tucanos.Sigilos bancário e fiscalTambém foi aprovado na CPI dos Sanguessugas pedido de transferência dos sigilos bancário e fiscal do ex-assessor especial da Presidência, Freud Godoy, suspeito de envolvimento na compra do chamado dossiê Vedoin, elaborado para prejudicar a candidatura do tucano José Serra ao governo do Estado de São Paulo. O pedido de quebra de sigilo foi feito à Justiça, nesta segunda-feira, pelo Ministério Público.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.