Coordenações prometem um penúltimo debate ´ameno´

A Rede Record promove nesta segunda, a partir das 22h30, o penúltimo debate entre o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, candidato à reeleição pelo PT, e Geraldo Alckmin, do PSDB. O programa da Record marca a volta do embate direto dos dois adversários, com três dos cinco blocos destinados a perguntas entre os próprios candidatos. E as coordenações de campanha garantem que o tom ameno será mantido.Animado com o resultado do debate no SBT, Lula decidiu que não mexerá em nenhum ponto de sua estratégia para. Lula seguirá tentando desconstruir o discurso de gestão do rival, batendo nas privatizações e no corte de gastos.?A avaliação do presidente sobre o último debate foi muito boa e ele tende a seguir exatamente na mesma linha, de priorizar questões programáticas?, disse o coordenador da campanha e presidente interino do PT, Marco Aurélio Garcia.Segundo interlocutores da campanha do PSDB, a linha a ser seguida por Alckmin deverá ser a mesma apresentada no debate da semana passada. Ou seja: menos agressividade com Lula e mais diálogo com o telespectador. ?Não há por que gastar munição agora?, disse um integrante da equipe do marqueteiro Luiz Gonzalez. O PSDB quer guardar fôlego para o embate da TV Globo.Propaganda eleitoralGeraldo Alckmin decidiu mudar seu programa no rádio e na televisão. Na reta final, será muito mais agressivo. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai deixar o programa quase do jeito que está.O comando tucano acha que a fórmula tentada até agora não deu os resultados eleitorais esperados. Pelo atual formato, um locutor denuncia a participação de petistas na compra do já famoso dossiê Vedoin contra o PSDB no momento em que são mostradas fotografias do R$ 1,75 milhão apreendido pela Polícia Federal e, como contraponto, Alckmin fala de suas realizações e obras no governo de São Paulo. Na quinta-feira, reunido com seu conselho político, o candidato tucano decidiu mudar quase tudo.Lula, pelo contrário, entende que seu programa fala diretamente ao povo, tanto no que se refere às pequenas intrigas contra o adversário, quanto em relação às realizações de seu governo. Nas últimas avaliações feitas a respeito do programa eleitoral e nas análises de pesquisas eleitorais - divulgadas ou não -, o presidente e seus marqueteiros concluíram que a estratégia adotada deu certo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.