Coordenador pedagógico de colégio é assassinado

Com vários golpes de faca foi assassinado, entre a tarde e a noite de segunda-feira, em sua própria residência, o professor Marcos Paulo da Silva, de 29 anos, coordenador pedagógico da Escola Luiz Pereira Sobrinho, em Carapicuíba, na Grande São Paulo. O crime ocorreu no mesmo município, à Rua Lindolfo Ferreira de Moraes, 134, no Parque Jandáia.Os pais da vítima, Amarílio Dionísio da Silva e Inaura Elídia da Silva, contaram aos policiais da delegacia de Carapicuíba que estiveram na companhia do filho até por volta de 16h00. Saíram e retornaram às 19h00, quando já o encontraram morto no chão da sala usando apenas cueca e camiseta. Ele tinha cortes de faca no pescoço, na face e nas mãos. Tudo indicava que tentou defender-se e chegou a entrar em luta corporal com o criminoso. A arma do crime foi encontrada sob um travesseiro. Estava torta em conseqüência da violência dos golpes. Três latinhas vazias de cerveja estavam sobre a pia, na cozinha, outras duas junto ao aparelho de TV, na sala. Ao que tudo indica, o criminoso chegou a beber em companha da vítima que, ao perceber sua intenção, tentou se defender. Os pais deram pela falta do auto Gol cinza de placa CSQ-2051, de Carapicuíba, pertencente a Marcos Paulo, um aparelho de DVD e a carteira com documentos e dinheiro.Marcos era desquitado e, apesar de exercer função no ensino público e de coordenação pedagógica, tinha apenas o primeiro grau completo. Para a polícia, a vítima poderia ser homossexual e o autor, alguém com quem se relacionava ou, pelo menos, manteve relacionamento no passado. O crime pode ter acontecido logo após a saída dos pais, pois, ao ser encontrado o corpo já apresentava relativa rigidez cadavérica. O pais não suspeitam de ninguém. A faca e outros objetos foram apreendidos pela polícia para se apurar se o criminoso deixou impressões digitais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.