Cordão do Bola Preta arrasta milhares de foliões no Rio

Milhares de foliões estão pulando carnaval no Centro do Rio com o Cordão do Bola Preta, tradicional bloco da cidade. O preto e o branco, as cores do Bola, predominam. Chapelões, cocares, colares e algumas fantasias dos foliões fazem um contra-ponto colorido. O repertório é de marchinhas como "Cidade Maravilhosa", "Sassassaricando", "Chiquita Bacana", "Se a Canoa não virar" combinado com sambas marcantes como o do Salgueiro, de 1993, que ficou conhecido pelo refrão "Explode coração na maior felicidade". A banda tem forte presença dos instrumentos de sopro e a música é amplificada por alto-falantes em carros de som. As fantasias são variadas, mas alguns amigos preferem sair com fantasias iguais. É o caso de 13 rapazes fantasiados de Minnie, com vestidinhos brancos com bolinhas pretas iguais e as orelhas da personagem, mas que não se intimidam em paquerar mulheres. A foliã Michele Gomes chama a atenção para seu grupo de oito jovens com blusas de Betty Boop. "Queremos sair no jornal", disse. A alegria está em todas as idades no bloco. Vestido de índio, Marco Vítor, de dois anos está saindo no Bola também pelo segundo ano. "No ano passado, ele já gostou", disse o pai Marco Azevedo, acompanhado da mulher Michelle Mello. João Ribeiro, de 64 anos, já perdeu a conta de em quantos carnavais veio para o Cordão. E promete sair em outros blocos também. "O carnaval de rua está retornando com muita força. Vai uma cervejinha aí?", diz. O Bola faz a festa também dos comerciantes. O camelô Vagner Cavalcanti conta que chegou às 7h nas imediações da Cinelândia com as bebidas que está vendendo no local. Ele espera ganhar R$ 500 só hoje e R$ 2.200 em todo o carnaval. Numa manhã de sol e céu azul no Rio, com os termômetros, marcando 29 graus, às 10h30, o Bola Preta lotou o metrô no sentido zona sul-Centro, o oposto do que acontece normalmente aos sábados. Dentro de um vagão em que em todas as estações de Copacabana para o Centro, entravam pessoas com roupas e adereços brancos e preto, Artur Lemos e quatro amigos puxaram o coro cantando as músicas do Bola e os demais passageiros cantaram junto: "Vem pro Bola, meu bem/ Vem pro Bola, meu bem/Uma alegria infernal/ Uma alegria infernal".

Agencia Estado,

17 Fevereiro 2007 | 11h45

Mais conteúdo sobre:
carnaval carnaval 2007

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.