Coreano é preso com 24 cobras congeladas

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) prendeu na terça feira à noite um coreano naturalizado paraguaio, na região de Foz do Iguaçu, com 24 cobras cascavéis congeladas. Detido pela polícia a 70 quilômetros de Foz, na BR-277, Chul Sung Kim, 44 anos, disse que os répteis seriam usados na produção de remédios e serviriam de alimento para a família. Contudo, suspeita-se que as cobras seriam vendidas como comida exótica em restaurantes de São Paulo. O coreano vai responder em liberdade por crime ambiental. Ele terá de pagar multa de R$ 5 mil para cada cobra apreendida, totalizando R$ 120 mil. A polícia não soube informar em quanto está avaliada a carga. Os animais abatidos estavam sendo transportados congelados numa sacola, e foram levados a uma delegacia da região, e depois doadas ao Ibama. Animais exóticos são um prato disputado e caro em restaurantes do gênero. As cobras apreendidas são procedentes do Paraguai, onde é comum o tráfico de animais silvestres para o Brasil. Devido à deficiência na fiscalização, a travessia é feita pela Ponte da Amizade, que liga Foz a Ciudad del Este. As apreensões mais comuns já registradas nessa região são de tartarugas, papagaios e cobras. Procedentes do Paraguai, esses pequenos animais são confinados em caixas de papelão e gaiolas em carros, ônibus e caminhões. O tráfico passa quase despercebido por causa do grande movimento de pessoas e veículos na fronteira, que leva milhares de sacoleiros ao comércio paraguaio. A Ponte da Amizade é considerada uma das principais rotas usadas pelas quadrilhas de traficantes de animais silvestres. Esse tipo de comércio ilegal só perde para o tráfico de drogas e armas. Movimenta cerca de US$ 10 bilhões por ano em todo o mundo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.