Córnea desaparecida é encontrada no lixo em MG

A córnea que seria transplantada nesta quarta-feirapela manhã na Clínica de Olhos da Santa Casa da capital mineira em Jonathan Diniz Viana, de 15 anos, que sofre de problemas neurológicos, é deficiente físico e ficou cego há três anos, foi encontrada oito horas depois em uma lixeira de um depósito de material de limpeza do hospital. O recipiente que envolvia a membrana estava quebrado, a córnea danificada e imprópria para a cirurgia. O pai de Jonathan, Vladimir Alves Viana, 37 anos, ficou revoltado com o ocorrido e afirmou que vai acionar judicialmente o hospital por danos morais. Quando foi constatado o sumiço, a Polícia Militar foi acionada e foi registrada uma ocorrência. O garoto era o primeiro da lista de espera do MG Transplantes e chegou a ser preparado para entrarna sala de cirurgia. A córnea foi uma doação de uma criança de sete anos. De acordo com o assessor de imprensa da Santa Casa, Manoel Higyno dos Santos, foi aberta uma sindicância interna para apurar o sumiço do órgão. As suspeitas são de que houve falha humana de algum funcionário no translado da córnea. A expectativa de Santos, no entanto, é que até este sábado o rapaz possa ser operado. "Se eles estão tentando isso, eles não comunicaram nada, nem para mim, nem para a mãe do meu filho", disse Vladimir. Segundo Higyno dos Santos, em mais de 30 anos de funcionamento da Clínica de Olhos do hospital, esse é o primeiro caso de sumiço de um órgão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.