Coronel é suspeito de coagir testemunha

O coronel Eduardo José Félix de Oliveira, chefe do Comando de Policiamento de Choque (CPChoque), é investigado pela acusação de coagir uma testemunha no processo que apura as decapitações atribuídas a PMs do 37.º Batalhão. Doze PMs são suspeitos de participar de pelo menos quatro assassinatos na Zona Sul.Uma testemunha arrolada no processo se sentiu coagida pelo coronel e foi apresentada no Tribunal de Justiça Militar na madrugada de ontem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.