Coronel que planejou segurança para a Copa em BH vai se aposentar

O chefe do Comando de Policiamento Especializado, coronel Antônio Carvalho Pereira, pediu para ser passado para a reserva

Marcelo Portela, O Estado de S. Paulo

04 de junho de 2014 | 19h34

BELO HORIZONTE - A oito dias do início da Copa do Mundo, a Polícia Militar (PM) mineira informou nesta quarta-feira, 4, que o chefe do Comando de Policiamento Especializado (CPE), coronel Antônio Carvalho Pereira, pediu para ser passado para a reserva. O militar, que participou da elaboração de todo o esquema de segurança para o Mundial em Belo Horizonte, não deu justificativa para a decisão de se aposentar.

Carvalho, ao lado da chefe do Comando de Policiamento da Capital (CPC), coronel Cláudia Romualdo, coordenou a ação da PM nas manifestações realizadas na capital mineira durante à Copa das Confederações do ano passado. Na ocasião, duas pessoas morreram em meio a confrontos entre vândalos e militares e a PM já espera novos protestos com risco de violência nas próximas semanas.

O comandante-geral da PM de Minas, coronel Márcio Sant'Ana, afirmou que Carvalho era "fundamental" no esquema montado para a Copa do Mundo, mas ele "exerceu seu direito de pedir para ir para a reserva, tomando uma decisão pessoal". E declarou que a atuação da polícia não será prejudicada porque a tropa está "afinada". 

Carvalho dará lugar ao coronel Ricardo Garcia Machado, que ocupava o cargo de assessor militar do secretário de Defesa Social, Rômulo Ferraz, mas também já atuou em unidades operacionais, inclusive do próprio CPE. Ele garantiu estar ciente do plano estratégico "que já foi estabelecido" e que todos os militares são treinados para esse tipo de "eventualidade".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.