Coronel tenta matar ex-mulher e comete suicídio

O coronel reformado do Exército Ronaldo Gouveia Miranda, 64 anos, tentou matar sua ex-mulher, a procuradora da República, Maria Candelária di Ciero Miranda, 55 anos, hoje de manhã, na Igreja das Irmãs Missionárias de Jesus Crucificado, localizada na avenida Rui Barbosa, 1246, Aldeota, bairro nobre de Fortaleza.Maria Candelária assistia à missa das sete horas da manhã, quando Ronaldo chegou e disparou quatro tiros contra ela. A procuradora foi atingida nos dois braços, na perna direita e nas costas. O tiro dado nas costas chegou a atravessar o corpo, lesionando o intestino e atingindo a veia cava. Dois policiais passavam pelos arredores quando ouviram os disparos. Ao entrar na igreja, foram recebidos com tiros disparados pelo coronel, que depois cometeu suicídio.O policial Luciano Antônio da Silva, atingido na cabeça, foi levado para o Instituto Dr. José Frota (IJF), o maior hospital público de emergência do Ceará, mas na sala de cirurgia não resistiu e morreu. Foi sepultado hoje à tarde em Fortaleza. Maria Candelária também foi levada ao IJF e submetida a uma cirurgia que durou quatro horas. Hoje foi transferida para um hospital particular e está fora de perigo. O outro soldado nada sofreu. O coronel do Exército morava em São Paulo. O casal tinha cinco filhos e estava separado há quatro anos. Maria Candelária reside em Fortaleza. Há algum tempo Ronaldo vinha perseguindo a ex-mulher com ameaças de morte por telefone. Os motivos que o levaram a cometer o crime ainda são desconhecidos. Segundo a Polícia, teria sido ciúme.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.