Corpo de advogado é encontrado; assassinos são presos

A polícia civil localizou neste sábado, em Santana do Parnaíba, na Grande São Paulo, o corpo do advogado Alexandre Donizete Lustosa, de 35 anos, que estava desaparecido desde a última quarta-feira. Dois ladrões, que foram presos, confessaram o assassinato e a localização do corpo.Legner Francisco Antônio da Silva, de 19 anos, autor dos tiros, foi preso em Bragança Paulista, no interior do Estado, dirigindo o carro de Lustosa. Ao ser parado numa blitz, ele alegou que o automóvel fora emprestado por um amigo. Na consulta feita ao Departamento Estadual de Trânsito (Detran) os policiais civis souberam que o carro era de Lustosa.Silva confessou ter assassinado o advogado após seqüestrá-lo na saída de uma floricultura em Barueri. Estava acompanhado de A.O. de 17, que também foi preso. Depois de terem percorrido caixas eletrônicos para sacar dinheiro, decidiram matá-lo. Foram para uma estrada de terra entre Barueri e Santana do Parnaíba e Silva deu os tiros.Ele alegou que se o advogado ficasse vivo os denunciaria. Os familiares de Lustosa disseram que os ladrões estão mentindo. Segundo eles, o advogado vivia alertando aos familiares que jamais deveriam reagir a um assalto porque sabia que os bandidos matam. O investigador Valdemar Silva, que participou da prisão, acredita que os dois sejam autores de outros seqüestros. Silva já esteve preso por roubo. O menor tem passagens pela Febem por roubo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.