Corpo de empresária suíça assassinada é cremado no Paraná

Mais de 40 dias após a morte, a Justiça paranaense autorizou nesta terça-feira a cremação do corpo da empresária suíça Christine Pinzon Keller, de 34 anos. Ela foi morta no dia 28 de novembro por asfixia, juntamente com o namorado, Cristiano Henrique Brandi Camilo, 28 anos, que recebeu golpes de ferro na cabeça. O amigo de infância de Camilo, Jean Francisco Maceno, 26 anos, confessou o crime, justificando que precisava de dinheiro. Ele conseguiu roubar apenas R$ 300,00 do casal, que tinha vindo da Suíça para visitar a mãe do rapaz. Ela estava doente e acabou morrendo.A cremação, autorizada pelo juiz da 4ª Vara Criminal de Curitiba,Telmo Zainco, foi feita à tarde no crematório Vaticano, emCampina Grande do Sul, na região metropolitana de Curitiba. O Consulado Geral da Suíça, em São Paulo, ficará responsável por remeter as cinzas aos familiares. Christine era proprietária de uma agência de publicidade em Zurique, com filial em Nova York. Um primeiro pedido para cremação tinha sido negado pela Justiça, sob argumento de que poderia haver necessidade de uma exumação durante o processo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.