Corpo de Evandro Lins e Silva é velado no Rio

O corpo do jurista e acadêmico Evandro Lins e Silva, que morreu esta madrugada aos 90 anos, já está sendo velado por parentes e amigos próximos no Salão dos Poetas Românticos da Academia Brasileira de Letras (ABL). O presidente da Academia, Alberto da Costa e Silva, lembrou que Lins e Silva, ocupante da cadeira de número 1 da ABL, era uma pessoa ?contagiante com sua mocidade?. ?Apenas sua bengala desmentia sua juventude?, brincou.O senador Jorge Bornhausen (PFL-SC) contou que conhecia o advogado ?desde que se entende por gente?, porque Lins e Silva foi casado com uma prima do senador. ?Ele morreu no auge de sua fama, num momento importante de sua vida, e isso é um conforto para a família?, afirmou.O advogado João Luiz Duboc Pinaud, ex-secretário de Justiça do Rio, disse que Lins e Silva ?é figura ímpar na história do Brasil? e que teria saúde para viver mais de 100 anos, se não fosse pelo acidente que sofreu. Pinaud contou ainda que na Ordem dos Advogados do Brasil ninguém tomava decisão importante sem consultar Lins e Silva.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.