Gabriel Reis/agencia IstoE
Gabriel Reis/agencia IstoE

Corpo de jornalista Milton Gamez é encontrado em Ibiúna

Miltinho, como era conhecido por colegas de redação, foi o primeiro editor-chefe da revista IstoÉ Dinheiro e participou da primeira equipe do jornal Valor Econômico. Ele deixa mulher e dois filhos

Gilberto Amendola, O Estado de S.Paulo

23 de julho de 2019 | 16h56
Atualizado 23 de julho de 2019 | 23h16

O jornalista Milton Gamez foi encontrado morto nesta terça-feira, 23, por bombeiros na represa de Ibiúna, em São Paulo. Ele estava desaparecido desde segunda. Miltinho, como era conhecido pelos colegas, tinha 54 anos e 30 de profissão. Começou a carreira na Gazeta Mercantil e seu último trabalho foi na FSB Comunicação. Integrou a primeira equipe do jornal Valor Econômico e também foi editor de finanças da revista IstoÉ Dinheiro. Ainda teve passagens por Exame, O Globo, Folha de S.Paulo e Harvard Business Review. Como jornalista, era especializado em economia, negócios, finanças e investimentos.

Em nota publicada pela revista IstoÉ Dinheiro, o presidente executivo da Editora Três, Caco Alzugaray, escreveu que “Miltinho foi uma das principais referências de nossa geração do jornalismo profissional: ético, responsável, arrojado (não, uma característica não briga com a outra) e muito bem escrito! Deixa muitas saudades.”

Em 1997, durante a realização de uma reunião do Fundo Monetário Internacional (FMI), o jornalista foi o responsável por conseguir uma entrevista exclusiva do investidor George Soros – que seria capa da IstoÉ Dinheiro. Amigos do jornalista também recordam que certa vez entrou em uma reunião de acionistas cujo assunto era a fusão do Itaú e do Unibanco. Na ocasião, Roberto Setubal, copresidente do conselho de administração do Itaú Unibanco, teria dito: “Você é jornalista. Não pode estar aqui!” Segundo relatos, Miltinho teria respondido que estava lá como cotista do Itaú. 

Entre suas características estavam o carinho com os colegas e o bom humor, mas sem abrir mão de ser competitivo. Conta-se que ele e o colega Ivan Martins começaram a disputar quem faria a capa da semana. Sempre que um conseguia, colava uma capa na parede para provocar o outro... E assima salinha da Dinheiro na Editora Três ficou com capas espalhadas pelas pilastras e paredes...

Outra característica lembrada por colegas era o prestígio de Miltinho. Em meados de 2009, a Istoé Dinheiro iria começar a fazer alguns vídeos para a internet. Luiz Carlos Trabuco, à época recém-nomeado presidente do Bradesco, foi até a redação para gravar o vídeo. Ficou duas horas nesse processo. Por algum problema técnico, nada foi gravado. Miltinho pediu e, dias depois, Trabuco voltou à redação para fazer nova gravação. 

Gamez deixa a mulher, a jornalista Suzana Barelli, e dois filhos, Giovana e Igor. O velório será hoje, a partir das 9 horas, no Cemitério Gethsêmani Anhanguera (Rod. Anhanguera, km 23.4). O enterro será no mesmo local, às 17 horas.

Tudo o que sabemos sobre:
Milton GamezIbiúna [SP]jornalismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

  • Novembro Azul: entenda a campanha de prevenção do câncer de próstata
  • DPVAT: o que é e como funciona o seguro obrigatório?
  • Yuval Harari: “Algoritmos entendem você melhor do que você mesmo se entende”

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.