Corpo de jovem inglesa morta em Goiás segue para Londres

Corpo já havia sido liberado no começo do mês, mas apenas nesta segunda o traslado será feito

Solange Spigliatti, do estadao.com.br ,

22 de setembro de 2008 | 13h14

O corpo da jovem inglesa Cara Marie Burke, de 17 anos, morta e esquartejada pelo namorado no final de julho, em Goiânia, deve seguir para Londres ainda nesta segunda-feira, 22. O corpo da jovem saiu de Anápolis, em Goiás, há cerca de duas semanas, e foi levado para Brasília, de onde seguirá para Londres. De acordo com a assessoria do Aeroporto Juscelino Kubitschek, o vôo comercial da empresa aérea TAP deve seguir no final da tarde para a Inglaterra. O corpo já havia sido liberado no começo do mês, mas apenas nesta segunda o traslado será feito.  Veja também:Assassino de jovem inglesa pode pegar 40 anos de prisão em GOMãe de inglesa esquartejada diz que brasileiro queria cidadaniaApós matar inglesa, acusado enviou fotos e torpedos por celular No dia 15 de setembro, o juiz Jesseir Coelho de Alcântara, da 1ª Vara Criminal de Goiânia, acatou denúncia do Ministério Público de Goiás (MPE) contra o goiano Mohammed D'Ali Carvalho dos Santos e seu amigo Cristiano Cardoso da Silva. Os dois são acusados pela morte da inglesa. Depois de morta a facadas, a garota foi esquartejada dentro do apartamento em que morou com o goiano, no Setor Leste Universitário.  O MPE acusou Cristiano de ocultação de cadáver. Já Mohammed foi denunciado por homicídio qualificado - praticado por motivo fútil e utilizando-se de emboscada -, destruição, ocultação de cadáver e corrupção ativa. No momento em que foi preso, cinco dias após o crime, Mohammed ofereceu R$ 70 mil aos policiais para ficar em liberdade.  Baseado nas investigações e provas colhidas pela Policia de Goiás, o MPE acredita que Mohammed D'Ali teria sido motivado a matar a inglesa porque ela não queria se casar. O relacionamento visava a obtenção da cidadania inglesa, mas Cara Marie ficou assustada ao descobrir que o rapaz estava envolvido com drogas. Seu corpo foi encontrado dentro de uma mala entre as margens do Rio Meia Ponte e a BR- 153, que liga Belém a Brasília, em Goiânia (GO).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.