Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Corpo de modelo é exumado

O corpo da modelo Cristiana Ferreira, encontrada morta em um flat de luxo, na zona sul da capital mineira, em agosto de 2000, foi exumado na tarde desta quinta-feira. A exumação, determinadapelo Ministério Público no início da semana, foi conduzida pelo professor de Medicina Legal da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Roberto Pereira Campos, que divulgou um laudo na última semana, onde aponta que Cristiana, que na época tinha 24 anos, foi agredida antes de morrer e seu corpo apresentava sinais de sufocamento.Os promotores, que contestaram a condução do inquérito e o laudo final da Polícia Civil, que, na época, apontou como causa da morte suicídio por ingestão de veneno para ratos, solicitaram os exames dos restos mortais de Cristiana na tentativa de comprovar a hipótese levantada pelo legista.O cemitério da Glória, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, onde ela foi enterrada, estava sob vigilância da Polícia Militar nos últimos dias. Os trabalhos duraram cerca de três horas e meia e foram acompanhados pelos promotores e familiares de Cristiana.Os legistas analisaram os ossos da face damodelo e detectaram afundamento da base nasal e outros sinais que poderiam indicar que amodelo foi agredida antes de morrer. Um dispositivo intra-uterino foi encontrado, o que descartaria a probabilidade de que Cristiana estivesse grávida.Foram recolhidas partes do corpo, como mão, crânio, útero, e pêlos pubianos para exames em laboratório. A intenção dos médicos é buscarvestígios de sêmen para tentar descobrir qual foi a última pessoa que esteve com amodelo. O resultado deverá ser divulgado em aproximadamente 30 dias.?Eu tenho certeza, convicção, de que houve homicídio?, disse o promotor Francisco Santiago. Segundo o MP, um dos suspeitos de ter assassinado Cristiana, o investigador Reinaldo Pacífico, prestará depoimento nesta sexta-feira. O caso ganhou grande repercussão porque a modelo, que costumava se apresentar como ex-miss, tinha envolvimento com pessoas do primeiro escalão do governo mineiro, empresários e deputados federais do Estado.

Agencia Estado,

19 de dezembro de 2002 | 19h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.