Corpo encontrado em Jaboticabal é o da mulher do motorista

Os bombeiros encontraram, na manhã deHoje, o corpo da nona vítima do acidente de ônibus com trabalhadores rurais de Taquaral, que foi arrastado pela água dachuva, no início da noite de sexta-feira (09), em Jaboticabal, na região de Ribeirão Preto. O corpo de Clarice Francisco deCarvalho, 38 anos, mulher do motorista do ônibus, Gil Gonçalves Sena, foi sepultada no final da tarde. Os bombeiros continuamprocurando as três mulheres que continuam desaparecidas. Na tarde de ontem, na delegacia de Taquaral, o delegado deJaboticabal, Eduardo Tokuiti Tokunaga, ouviu os primeiros sete depoimentos de sobreviventes do acidente. "Estabelecer uma eventual responsabilidade penal do motorista, ainda é prematuro, pois é preciso confrontar os depoimentos com o laudo técnico pericial do veículo", diz Tokunaga. Sena, aliás, será o último a depor. A irmã de Sena, Celina, é uma das três mulheres que continuam desaparecidas. Tokunaga, titular do 1o DP de Jaboticabal e que responde pela delegacia de Taquaral, de onde ouviu os depoimentos, abriu inquérito de lesão corporal culposa e homicídio culposo para apurar o caso. Na sua opinião, a perícia no ônibus - olaudo deverá ficar pronto em, no mínimo, 30 dias - será essencial para as investigações, pois poderá definir se houve houve falha mecânica ou humana no acidente sobre a ponte do córrego Santa Rita, no km 350 da Rodovia Brigadeiro Faria Lima.Tokunaga requisitou, também, uma cópia da fita de vídeo, que filmou o ônibus ainda na pista até o veículo ser levado pela correnteza, registrada por um cinegrafista amador.Cerca de 60 homens do Corpo de Bombeiros de cidades vizinhas continuaram procurando os corpos dosdesaparecidos, inclusive com um cão treinado para encontrar cadáveres. A lama prejudica os trabalhos. A estrada, de pistasimples, com terceira faixa, está sem acostamento perto do córrego que transbordou e causou a tragédia. A correnteza que levou o ônibus foi provocada pelas águas da forte chuva, que também causou outros prejuízos na zona rural deJaboticabal e até de cidades vizinhas. Das 26 pontes da zona rural de Jaboticabal afetadas pela chuva, 15 passarão por fortemanutenção e 11 foram completamente destruídas, o que demandará 60 dias de serviços. A prefeitura ainda teve que racionar aágua e o fornecimento só foi normalizado na tarde de ontem, mas a administração continua pedindo economia à população.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.