Corpo enterrado como indigente era de americano

A Polícia Civil confirmou a suspeita de que o corpo de um homem enterrado como indigente em abril na cidade de Caçapava, no Vale do Paraíba, era mesmo do norte-americano Raymond James Mierrel. O músico norte-americano ficou quase seis meses desaparecido até que a polícia descobriu que ele teria sido assassinado pela própria namorada, Regina Rachid e por dois homens. O laudo conclusivo do IML (Instituto Médico Legal) de São Paulo considerou que a arcada dentária pertencia à vitima estrangeira. O documento foi entregue nesta semana à polícia civil e integrado ao processo. Além de Regina Rachid, Evandro Augusto Ribeiro também está preso. Já Nelson de Siqueira Neves, que chegou a se apresentar à polícia no período eleitoral e não pode ser preso, é considerado foragido. O norte-americano foi brutalmente assassinado logo quando chegou a São José dos Campos para visitar a namorada, no dia 30 de março. Ele foi dopado, obrigado a contar as senhas bancárias e depois enforcado com um fio elétrico. O trio decidiu se desfazer do corpo, em uma estrada rural de Caçapava, atendo fogo no cadáver. O crime foi descoberto quando a polícia prendeu Regina com o cartão bancário da conta corrente da vítima, onde havia sido sacado R$50 mil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.