Correção

Diferentemente do publicado ontem, na pág. C1, foi o Instituto de Criminalística, e não o de Pesquisas Tecnológicas, que se contradisse sobre a relação de detonações com o acidente no Metrô.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.