Corrupção policial é maior entrave à luta contra crime organizado

O secretário nacional de Segurança Pública, Luiz Eduardo Soares, admitiu nesta quarta-feira que a corrupção policial é o principal problema a ser enfrentado pelo País no combate ao crime organizado, em entrevista após reunião da qual participaram integrantes do Gabinete Integrado de Segurança Pública, o diretor-geral da PolíciaFederal, Paulo Lacerda, e o governador do Espírito Santo, Paulo Hartung (PSB).?Temos a convicção de que, se não enfrentarmos o problema da corrupção policial, não vamos vencer o combate ao crime organizado no Brasil, não só no Espírito Santo. O combate ao crime organizado passa pelo combate à corrupção nas instituições públicas, particularmente nas polícias.?Soares afirmou que o assassinato do juiz Alexandre Martins de Castro Filho foi ?uma reação do crime organizado aos avanços conduzidos no Estado pelo novo governo, buscando acuar os que conduzem esse processo?.?O drama vivido aqui no Espírito Santo foi lido e interpretado em algumas partes do País como uma demonstração da falência do Estado. Na realidade, o que vimos com esse ato bárbaro de segunda-feira foi uma reação desesperado do crime organizado, que encontra no Estado talvez o enfrentamento mais duro, mais vigoroso e mais promissor.?Ele disse que serão liberados recursos do Fundo Nacional de Segurança Pública para oEstado, mas não definiu valores.A polícia capixaba está investigando a hipótese de criminosos estarem planejando possíveis atos de intimidação. Na noite desta terça-feira, o subsecretário de Segurança Pública do Espírito Santo, delegado federal Fernando Franschini, suspeitou de duas pessoas quando deixava uma agência bancária no centro de vitória.Um deles foi detido e, depois, descobriu-se que era um homem do serviço de inteligência da PolíciaMilitar, que não estava armado. Ele foi interrogado e liberado em seguida, por falta deprovas.?Estamos apurando. Não sabemos ainda muito bem o que ocorreu, se foi uma tentativa de assalto ou atentado, mas houve alguma irregularidade. A polícia vai investigar?, disse o delegado federal Rodney Rocha Miranda, secretário da Segurança Pública.Miranda estaria marcado para morrer pelo crime organizado, segundo lista revelada nesta quarta-feira pelo Estado. O secretário e o sub são delegados da PF, o que pode estar causando incômodo na PM, que tem vários homens envolvidos em crimes. Veja o especial:

Agencia Estado,

26 de março de 2003 | 21h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.