Cozinha vira bunker serrista

Publicitário produz e reproduz conteúdo sobre o PSDB para seguidores de blog e do Twitter

Julia Duailibi, O Estado de S.Paulo

23 de maio de 2010 | 00h00

Os tucanos podem ter montado um núcleo digital, contratado empresas especializadas e chamado "estrategistas" de campanha online para chegar ao eleitor internauta. Mas é da cozinha de um imóvel na zona leste paulistana da qual partem, com uma frequência de poucos minutos, informações sobre entrevistas, discursos e agenda do pré-candidato José Serra - informações que acabam replicadas por milhares de pessoas na rede. Com um computador montado pelo sobrinho de 11 anos, o publicitário Welbi Maia, de 37 anos, reproduz conteúdo sobre o PSDB para os 1.734 seguidores do Twitter e os 88 de blog, que, segundo ele, teve 29 mil acessos em três meses. "Faço tudo de graça", conta.

Militante do PSDB desde 1998, Maia, que trabalhou em administrações tucanas, diz atuar para neutralizar a ação dos adversários na rede. "Quando Serra postou no Twitter que era boato que ira acabar com a Zona Franca de Manaus, ajudei a retuitar."

O publicitário diz ser contra baixaria na rede. Mas não hesita em procurar parlamentares do PT na web para questioná-los sobre certos temas. Na quinta-feira, o deputado Vicentinho (PT) contou no Twitter ter encontrado o prefeito de São Bernardo. Maia cutucou: "Pergunte ao aniversariante prefeito Luiz Marinho se manterá o pedido de censura ao Diário do Grande ABC."

Maia diz ser alvo de ataques da militância do PT, que teria conseguido bloquear sua página no Orkut. "Fui ofendido por João Paulo Cunha", garante. Ele mostrar mensagem que teria sido enviada pelo deputado e que, claro, acabou postada na rede. / J.D.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.