CPI, agora com apoio de senadora do PP, ainda é ameaça

A solidez da base governista no Senado começa a trincar, com a decisão da senadora Ana Amélia (PP-RS) de assinar a CPI para investigar o enriquecimento do ministro Antonio Palocci (Casa Civil). A senadora disse que as entrevistas do ministro deixaram mais dúvidas, em vez de esclarecer as dúvidas em relação a seu patrimônio. Com isso, subiu para 20 o total de assinaturas - 7 a menos que o necessário. A oposição espera obter nesta semana o apoio dos senadores Itamar Franco (PPS-MG), internado para um tratamento contra leucemia, e Pedro Simon (PMDB-RS).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.