CPI convoca empresário ligado a ex-diretora da Anac

Ex-presidente da Infraero acusa Denise Abreu de favorecer amigo com transferência de terminal de cargas

Agência Câmara,

29 de agosto de 2007 | 14h26

A CPI do Apagão Aéreo da Câmara aprovou nesta quarta-feira, 29, a convocação do depoimento de Carlos Ernesto de Campos, dono da empresa Terminais Aduaneiros do Brasil (Tead). Ele é apontado como beneficiário de uma eventual transferência do transporte de cargas defendida pela ex-diretora da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) Denise Abreu. A denúncia do suposto benefício foi feita pelo ex-presidente da Empresa Brasileira de infra-estrutura Aeroportuária (Infraero) brigadeiro José Carlos Pereira.   O depoimento do empresário foi requisitado pelos deputados Gustavo Fruet (PSDB-PR), Otavio Leite (PSDB-RJ) e Cândido Vaccarezza (PT-SP). De acordo com o ex-presidente da Infraero, o favorecimento aconteceu quando Denise Abreu tentou transferir o setor de cargas dos aeroportos de Congonhas, em São Paulo, e de Viracopos, em Campinas, para o de Ribeirão Preto. Em depoimento na CPI, a diretora negou as acusações.   Novos depoimentos   A comissão também aprovou a convocação da ouvidora da Anac, Alayde Avelar Freire Sant'Anna; do ex-superintendente do Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (Daesp), José Mauro Garcia; e do ex-secretário estadual de Transportes de São Paulo, Daril Raes Lopes.   Serão convidados para debater a crise aérea o presidente e o vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), Eugênio Gouveia Vieira e João Barbará. Além disso, a CPI aprovou requerimentos de pedidos de informação à Anac, ao Ministério da Defesa e ao Tribunal Regional Federal de São Paulo; e rejeitou a convocação de seis funcionários da Infraero.    

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.