CPI da Corrupção tenta ouvir dono da Linknet

CPI da Corrupção tenta ouvir dono da Linknet

BRASÍLIA

, O Estado de S.Paulo

06 de abril de 2010 | 00h00

A CPI da Corrupção da Câmara Legislativa do DF faz, hoje, a segunda tentativa de ouvir o depoimento de Gilberto Lucena, dono da Linknet, uma das empresas acusadas de abastecer o "mensalão do DEM", esquema que seria chefiado pelo ex-governador José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM). O depoimento era esperado para a semana passada, mas Lucena não foi à sessão.

Depois do empresário, os convocados prestarão depoimentos por carta. O relator, Paulo Tadeu (PT), enviará questionários, elaborados por 5 membros da CPI, e os depoentes terão dez dias para responder. Receberão as perguntas os empresários Antônio Ricardo Sechis, dono da Adler; Maria Bonner Léo, da TBA; Avaldir da Silva Oliveira, da CTIS; e Nerci Soares Bussamra, da UniRepro.

A CPI vai mudar para o 5.º andar da nova sede da Câmara, que custou R$ 120 milhões (quase o triplo do valor previsto) e está pronta, mas inativa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.