CPI da Dívida quer fazer acareação

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Dívida Pública quer realizar uma acareação entre o ex-coordenador da Dívida Pública Wagner Batista Ramos e o ex-secretário das Finanças José Antonio de Freitas.O objetivo é esclarecer contradições sobre a negociação de títulos públicos e empréstimos da Prefeitura na gestão Paulo Maluf (PPB). Em depoimento nesta segunda-feira à CPI, Ramos transferiu para o ex-secretário a responsabilidade sobre o empréstimo de R$ 150 milhões feito pelo Instituto de Previdência Municipal (Iprem) para a Prefeitura, em 1996.Na semana passada, Freitas afirmou que a operação coube à Coordenadoria da Dívida. Conforme dados da comissão, o empréstimo foi depositado na conta do Tesouro Municipal no mesmo dia em que os conselheiros do Iprem autorizaram a operação, o que caracterizaria irregularidade.Os parlamentares suspeitam que a verba tenha sido utilizada para o pagamento de grandes obras realizadas pelo ex-prefeito, como o Túnel Ayrton Senna.Em depoimento prestado à CPI há cerca de dois meses, Maluf negou existir irregularidade. Outra contradição apontada refere-se à venda de Letras Financeiras do Tesouro Municipal (LFTMs), títulos para o pagamento de precatórios (dívidas contraídas de sentenças judiciais).Nesta segunda-feira, Ramos também transferiu para a Secretaria das Finanças a responsabilidade sobre esses títulos.Diante desse depoimento, a CPI também estuda uma acareação entre Wagner Ramos e o ex-prefeito Celso Pitta (PTN), que no governo Maluf foi titular da Secretaria das Finanças até maio de 1996, quando foi substituído por Freitas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.