CPI da Máfia dos Fiscais isenta Prefeitura

Ao contrário do que ocorreu na primeira versão no governo anterior, em 1999, a ComissãoParlamentar de Inquérito (CPI) da Máfia dos Fiscais, na Câmara Municipal, teve um fimmelancólico e inocentou o atual governo das denúncias de corrupção na cidade, tratando os fatos denunciados como "casos isolados".O relatório final foi aprovado de forma unânime pelos setes vereadores. O vereador Dalton Silvano (PSDB), apresentou um voto aditivo e de divergência parcial, que também será encaminhado ao Ministério Público Estadual (MPE).A CPI foi aprovada em junho para apurar denúncias de que fiscais da Prefeitura estariam cobrando propinas de ambulantes na região central de São Paulo.Apesar da expectativa e da disputa ocorrida na época da criação da comissão, em quehouve uma ampla articulação política para a comissão ser comandada por um vereadordo PT, o clima durante o andamento dos trabalhos foi morno e despertou pouca atençãodos vereadores e da mídia.No relatório final, a Prefeitura é isenta das práticas de corrupção, e as denúncias decobrança de propina por parte dos fiscais foram tratadas como casos isolados. O textoafirma ainda que as denúncias feitas no começo do ano revelaram indícios de corrupçãona fiscalização do comércio ambulante, "apesar do empenho do novo governo emcombatê-la e de seus avanços nesse sentido".Mesmo assim, os vereadores recomendam que a Prefeitura e o MPE aprofundem as investigações. De acordo com o presidente da CPI, vereador João Antônio (PT), a comissão "cumpriu seu papel" edetectou algumas questões, como o esquema de venda de mercadorias contrabandeadas.Ele afirmou que todos os fiscais acusados de corrupção foram afastados pela atual administração.O vereador tucano discorda dos petistas. "Em dois anos, a administração não tomounenhuma medida efetiva para combater a corrupção dos fiscais", disse Silvano. "Eles só resolveram tomar alguma providência depois que as denúncias foram veiculadas na televisão este ano", completou.

Agencia Estado,

27 de novembro de 2002 | 20h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.