CPI da Pedofilia recebe dados de 18.500 álbuns do Orkut

Plenário da Câmara vai votar lei que criminaliza imagens de sexo com crianças na internet

Agência Senado,

05 de novembro de 2008 | 17h56

O advogado do Google no Brasil, Ivo Correa, entregou, nesta quarta-feira, 5, à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pedofilia no Senado informações de 18.500 álbuns fechados do Orkut, suspeitos de conter imagens de pornografia infantil. Os álbuns foram identificados a partir de denúncias enviadas por usuários à ONG Safernet. Nesta quarta, o Plenário da Câmara iria votar o Projeto de Lei 1167/07, que torna crime quem adquire, recebe, oculta ou guarda material de sexo explícito ou pornográfico envolvendo crianças ou adolescentes. A votação foi transferida para a manhã de quinta-feira.   Veja também:  O que prevê o Projeto de Lei 1167/07   Todas as notícias sobre a CPI da Pedofilia    Esta é a segunda vez que a CPI pede a quebra de sigilo de páginas do Orkut e recebe os dados necessários à identificação de pedófilos que usam o site de relacionamento do Google. Em abril, foram entregues à CPI informações sobre 3.261 álbuns, as quais, após serem periciadas, levaram à identificação de mais de 500 pedófilos.   Ao receber os novos dados, o presidente da CPI, senador Magno Malta (PR-ES), disse acreditar na possibilidade de identificação de até sete mil pedófilos que utilizam os álbuns fechados para a divulgação de imagens de abuso sexual de crianças e adolescentes. O senador também destacou o estreitamento das relações entre a CPI e o Google.    

Mais conteúdo sobre:
CPI DA PEDOFILIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.