CPI dos valets realiza primeira blitz em SP

Comissão Parlamentar de Inquérito instalada na Câmara Municipal de São Paulo que apura as irregularidades no serviço de valets, empresas que administram equipes de manobristas diante de casas noturnas, realizou primeira blitz na zona Sul da cidade. A iniciativa despertou elogios e critícas de muitas pessoas. A operação, que teve inicío por volta das 21h desta 5ª feira, contou com a participação de pelo menos 50 pessoas entre vereadores que integram a CPI, homens da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), da Polícia Militar e da Sub-Prefeitura de Pinheiros. A fiscalização teve início na Rua Ministro Genoíno Cardoso, no bairro do Itaim Bibi e, aparentemente, agradou aos moradores da região.Segundo a CET, durante a blitz que ficou restrita á apenas duas ruas e durou pouco mais de 2 horas foram aplicadas 30 multas por estacionamento indevido e quatro veículos foram guinchados. Os dados levantados pela Sub-Prefeitura dão conta ainda da apreensão de 15 bancadas utilizadas de forma irregular pelas empresas de valets da região, informou a Rádio CBN. O vereador Willian Woo, que preside a CPI de Valets e que acompanhou os trabalhos de perto gostou da blitz, mas estranhou o fato que os locais vistoriados estivessem com a movimentação tão baixa. A CPI dos valets foi instaurada em abril de 2003. Diversas empresas já foram ouvidas, além de representantes do Procon, da Zona Azul da CET e da Associação Brasileira das Empresas de Valet.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.