AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

CPI está pronta para ouvir advogados do PCC

Começa daqui a pouco, na CPI do Tráfico de Armas, o depoimento dos advogados Sérgio Weslei da Cunha e Maria Cristina de Souza Rachado, acusados de terem comprado por R$ 200 a cópia da gravação da sessão secreta da comissão na qual foram ouvidos o diretor do Departamento de Investigações do Crime Organizado (Deic), Godofredo Bittencourt Filho, e o delegado Rui Ferraz. A CPI, que já pediu a prisão preventiva dos dois advogados, acusa a dupla de ter repassado as informações ao líder do Primeiro Comando da Capital (PCC) Marcos Camacho, o Marcola, dois dias antes do início da onda de violência em São Paulo, em 12 de maio.A advogada já está na sala da CPI, mas Sérgio da Cunha ainda não chegou. A advogada passou pela revista que está sendo feita na entrada da CPI, dentro de novo esquema de segurança da Câmara. Ela teve que abrir a pasta que trazia e passou pelo detector de metal. A advogada tropeçou em um degrau, na sala da comissão, e chegou a cair no chão.O Departamento de Polícia da Câmara intimou Maria Cristina e, após o depoimento à CPI, ela deverá depor à Polícia Legislativa. Ela poderá responder por processo de corrupção ativa, junto com o advogado Sérgio da Cunha. O Departamento de Polícia legislativa aguarda a chegada do advogado para também intimá-lo.Não está descartada a acareação, ainda hoje, dos dois advogados com o ex-funcionário de empresa que presta serviço á Câmara, Artur Vinícius Pilastres Silva, que confessou ter vendido a cópia da gravação. Na sala da CPI foi instalado um telão para reproduzir imagens gravadas pelo sistema de câmeras internas da Câmara que registraram o encontro dos advogados com o ex-funcionário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.