CPI fecha Hot Zone no Shopping Morumbi

Relator da comissão convocou força-tarefa da Prefeitura para inspeção; a loja de jogos foi lacrada pelo Contru por irregularidades nas instalações

Rodrigo Pereira, O Estadao de S.Paulo

27 de outubro de 2007 | 00h00

O vereador Adilson Amadeu (PTB) iniciou uma ofensiva contra casas de jogos eletrônicos e fechou ontem uma das maiores e mais sofisticadas de São Paulo, a Hot Zone do Shopping Morumbi, na zona sul da capital. Relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Imposto Sobre Serviços (ISS) da Câmara Municipal, Amadeu convocou uma força-tarefa da Prefeitura para o local. Não conseguiu flagrar fraudes no recolhimento do imposto, mas enquadrou a casa de jogos por irregularidades nas instalações e fez o Departamento de Controle do Uso de Imóveis (Contru) lacrar a loja. O secretário municipal de Habitação, Orlando Almeida, disse que foi realizada uma "vistoria muito cuidadosa" pelo elevado número de crianças que freqüentam o local e foram identificadas "algumas falhas e deficiências", como fiação com remendos e em contato com carpetes e outros materiais combustíveis, como caixas de papelão e rolos de plástico bolha.Além do risco iminente de incêndio, os fiscais apontaram déficit de extintores e hidrantes e saídas de emergência obstruídos. Também havia falhas na iluminação e na indicação das saídas de emergências. "Mas tudo coisas simples, que se quiserem em um dia resolvem", avaliou. Ele alertou, porém, que para a reabertura é preciso seguir um protocolo. Se tudo for feito o mais corretamente e rapidamente possível, somente quarta-feira o Hot Zone poderá ser reaberto. "Quem cuida de criança tem de ter responsabilidade, tudo tem de ser feito dentro da lei."O vereador prometeu ainda realizar uma análise rigorosa da planilha de faturamento e pagamentos de impostos apresentada pela administradora da Hot Zone, a Divertplan, para manter a loja fechada. "Curioso apresentarem de pronto essa documentação, que já estamos pedindo há dois meses", disse Amadeu, que reconheceu não ter barrado a casa pela irregularidade imaginada. "É uma casa com um risco gigante às pessoas." O vereador também garantiu que irregularidades em outras casas de jogos eletrônicos também serão avaliadas, pelo suposto risco que apresentam. "Fechamos 211 casas de bingo na cidade e naquilo ali (Hot Zone) o vício começa de nenezinho." Em nota, a administradora do shopping informou que "todas as providências para adequação às normas exigidas já foram iniciadas" e "a loja será reaberta assim que os reparos forem finalizados".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.