CPI marca depoimento de ex-ministros da Saúde

O presidente da CPI dos Sanguessugas, Antonio Carlos Biscaia (PT-RJ), informou, nesta terça-feira, que já marcou os depoimentos dos quatro ex-ministros da Saúde mencionados nas apurações sobre a máfia das ambulâncias como supostamente envolvidos no esquema. De acordo com o cronograma de Biscaia, para o dia 7 de novembro está marcado o comparecimento à comissão dos ex-ministros do PSDB José Serra, que acaba de ser eleito governador de São Paulo, e Barjas Negri, que o substituiu no Ministério da Saúde e é prefeito de Piracicaba (SP). No dia 8, será a vez do depoimento do petista Humberto Costa, derrotado na eleição para governador de Pernambuco, e do seu sucessor no Ministério, o peemedebista Saraiva Felipe. Para o dia 14, Biscaia marcou o depoimento do petista Expedito Veloso, ex-diretor do Banco do Brasil citado como um dos envolvidos na tentativa de compra do dossiê Vedoin contra tucanos. Para 31 de outubro, Biscaia já havia agendado a ida de três petistas à CPI: Jorge Lorenzetti, ex-chefe de inteligência da campanha de Lula; Gedimar Passos, ex-agente da Polícia Federal, e o empresário Valdebran Padilha - estes dois últimos presos com o R$ 1,75 milhão que seria usado na compra do dossiê.Ainda faltam as datas para o depoimento de outros cinco petistas convocados: Ricardo Berzoni, ex-coordenador da campanha de Luiz Inácio Lula da Silva e ex-presidente nacional do PT; Freud Godoy, ex-assessor especial da Presidência; Hamilton Lacerda, ex-assessor de campanha de Aloizio Mercadante; e Oswaldo Bargas, ex-secretário do Ministério do Trabalho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.