CPI ouvirá Marcola em Presidente Bernardes no dia 8

A CPI do Tráfico de Armas vai ouvir o chefe da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), Marcos Camacho, o Marcola, no dia 8 de junho, no presídio de Presidente Bernardes, onde o criminoso está preso. A data e o local foram definidos em reunião da CPI na tarde desta quarta-feira, 31.Os deputados Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP) e Luiz Couto (PT-PB) queriam ouvir Marcola na própria Câmara, mas a maioria dos membros da comissão optou por ouvi-lo no próprio presídio. O presidente da Câmara, Aldo Rebelo (PCdoB-SP), já havia vetado a presença de Marcola nas dependências da casa. Na semana passada, a CPI havia resolvido ouvir o preso no Fórum de Barra Funda, na capital paulista. Mas, por questões de segurança e prudência, o local teve de ser alterado, pois na segunda-feira, dia 5, começa, no mesmo local, o julgamento do caso Richthofen. A CPI acertou com a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo o depoimento no próprio presídio, por não considerar seguro tirar Marcola, preso em Regime Disciplinar Diferenciado (RDD), da cadeia, para o que seria necessário montar aparato policial e paralisar atividades do fórum.Antes da decisão, foram cogitadas outras possibilidades, como depoimento por vídeo conferência, na Assembléia Legislativa de São Paulo ou na sede da Polícia Federal em Brasília. O requerimento para convocar Marcola já havia sido aprovado no início do mês e o depoimento estava previsto inicialmente para 30 de maio. Os ataques em São Paulo e a confirmação do vazamento de depoimento de uma sessão secreta da CPI, no dia 10, mudaram os planos. Os advogados Sérgio Weslei da Cunha e Maria Cristina de Souza Rachado, acusados pela CPI de integrarem o PCC, são acusados de terem comprado, por R$ 200, um gravação do depoimento de sessão secreta da comissão na qual o diretor do Deic, Godofredo Bittencourt Filho, e o delegado Ruy Ferraz Desde a semana passada, confirmaram a transferência de líderes do PCC. Essa informação, teria precipitado a série de ataques e rebeliões em todo o Estado, iniciada no dia 12.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.