CPI vai pedir investigação sobre erro de delegada de Catanduva

Delegada admitiu ter avisado advogado que suspeito teria casa revistada por acusação de pedofilia na cidade

Agência Brasil,

19 de março de 2009 | 12h19

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pedofilia vai pedir à Corregedoria da Polícia Civil do Estado de São Paulo uma investigação sobre os erros cometidos pela delegada Rosana da Silva Vani na investigação sobre suspeitas de abusos de crianças em Catanduva, no interior de São Paulo. A decisão foi anunciada nesta quinta-feira, 19, pelo presidente da CPI, senador Magno Malta (PR-ES), durante a abertura da segunda sessão da audiência pública que a comissão realiza na cidade.

 

Veja também:

link Dois suspeitos têm pedido de prisão derrubado

link CPI da Pedofilia deve ouvir os oito suspeitos de Catanduva

lista Como denunciar a pedofilia e proteger seus filhos na web 

documento A cartilha do governo para prevenção da exploração 

lista Todas as notícias sobre pedofilia   

 

"Certamente, essa atitude (o erro da delegada) vai redundar na impunidade de muita gente", afirmou Malta. "A CPI fará uma representação contra a delegada e pedirá uma investigação interna sobre as atitudes dela", completou.

 

Na quinta, ela admitiu ter avisado o advogado de um suspeito de pedofilia que iria realizar uma diligência na casa do seu cliente. A diligência tinha como objetivo apreender uma CPU de um computador que supostamente conteria fotos e vídeos de pedofilia. Quando a delegada chegou à casa do suspeito, entretanto, a CPU não estava mais lá.

 

"Reconheço que foi uma falha grande", disse Rosana, em depoimento à CPI na quinta. "Foi uma precipitação, uma falta de análise racional."

 

O senador José Nery (PSOL-PA), outro membro da comissão, ratificou o pedido de investigação anunciado por Malta. Segundo ele, a falha de Rosana pode comprometer a punição dos culpados.

Tudo o que sabemos sobre:
pedofiliaCatanduva

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.