CPTM adota esquema de emergência para greve do Metrô

Operação começa às 4 horas; Estação Corinthians-Itaquera permanecerá fechada

Agencia Estado

15 de junho de 2007 | 02h51

Com a greve dos metroviários nesta quinta-feira, 14, a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) adotará algumas medidas emergenciais, entra elas iniciar a operação comercial às 4 horas. Além disso, haverá um reforço no contingente de segurança em todas as estações, em especial na Luz, em Guaianazes, José Bonifácio, Dom Bosco, Tatuapé, Brás, Calmon Viana, Barra Funda e Santo Amaro.Enquanto durar a greve, a Estação Corinthians-Itaquera, que integra a ferrovia ao Metrô, permanecerá fechada, sem operações de embarque e desembarque. O horário de pico da manhã - das 5 às 8 horas - será estendido conforme a necessidade. O mesmo ocorre à tarde - das 17 horas às 20 horas -, se a categoria não suspender a paralisação.Como não haverá trens de Metrô circulando, será suspenso o serviço da Ponte Orca (Operador Regional Coletivo Autônomo), que liga a Estação Vila Madalena, do Metrô, às estações Barra Funda e Cidade Universitária. Até o fim da paralisação ficarão fechadas as passagens internas de usuários para as estações de Metrô, onde ocorre a integração gratuita: Brás, Luz, Barra Funda e Santo Amaro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.