Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

CPTM contrata estudos para ampliar linha 5 do Metrô

A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) contratou, por R$ 9,1 milhões, o consórcio Ineco-Prime-Boucinhas & Campos para realizar o estudo de viabilidade econômica e de impacto ambiental para a construção da segunda fase da linha 5 do Metrô de São Paulo, juntamente com a ampliação da linha sul da CPTM.O contrato será assinado nos próximos dias e os estudos devem prosseguir por seis a oito meses. O Ineco-Prime-Boucinhas & Campos venceu licitação internacional da qual participaram também os consórcios Sul (Protran-CSL-PCI), Enger-Vetec-Mott McDonald e Ernst & Young-Trends-Habtec.As conclusões serão apresentadas ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), que estuda financiar 60% do custo do projeto, orçado em US$ 1,3 bilhão. O restante das obras será financiado pelo governo de São Paulo e por outras fontes que serão negociadas."Pretendemos levar as conclusões sobre o estudo de viabilidade para o BID em novembro de 2003", afirmou o gerente do projeto de expansão da CPTM, Osvaldo Spuri. Os projetos de engenharia estão orçados em R$ 36 milhões.As propostas técnicas das empresas de engenharia pré-qualificadas serão conhecidas no dia 7 de janeiro. Disputam a concorrência 11 consórcios de empresas nacionais e internacionais, e duas empresas.A estatal paulista deve contratar até o fim de 2003 as empresas que farão as obras do Metrô. A construção deve começar em 2004. Segundo Spuri, a extensão da linha 5 do Metrô prevê a construção de 11,6 km de vias subterrâneas e de mais 10 estações, com custo estimado em US$ 1,36 bilhão.As estações serão as seguintes, a partir do Largo Treze, em Santo Amaro, na zona sul de São Paulo: Granja Julieta, Borba Gato, Brooklin, Campo Belo, Ibirapuera, Moema, Servidor, Vila Clementino, Santa Cruz e Chácara Klabin.O sistema deve transportar 1 milhão de passageiros por dia, com trens operando em intervalos de 90 segundos. Hoje, o mesmo percurso, coberto por ônibus, leva 1 hora e 30 minutos. A CPTM, que administra os trens metropolitanos de São Paulo, foi encarregada de gerenciar as obras do Metrô. Quando começam as operações, a administração é transferida para a Companhia do Metropolitano de São Paulo.A primeira fase da linha 5 do Metrô, orçada em US$ 646 milhões, foi concluída no mês passado - uma linha, de 9,6 km, liga a região do Capão Redondo ao Largo Treze de Maio, com seis estações. Realizou a obra o consórcio Sistrem, formado pelas empresas Alstom (francesa) e Siemens (alemã), juntamente com a ADtranz (controlada pela canadense Bombardier) e a espanhola CAF.

Agencia Estado,

29 de novembro de 2002 | 17h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.