CPTM pretende apurar causas do acidente em 15 dias

A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) anunciou que pretende apurar, em 15 dias, as causas do acidente que provocou a morte de uma mulher grávida e deixou 42 pessoas feridas na tarde de ontem, na zona leste da capital. Para isso, o presidente da companhia, o engenheiro Oliver Hossepian, nomeou uma comissão de sindicância formada pelos engenheiros Wilson Linder Vieira e João Alcala Júnior e um membro da Consultoria Jurídica da empresa, o advogado Saint Claire Mora Junior. Eles deverão ouvir o depoimento de testemunhas e de empregados da CPTM, que terão o acompanhamento dos seus respectivos sindicatos.A apuração levará em conta também o resultado da perícia técnica que analisa as fitas de gravação velocimétrica, os sistemas de sinalização das vias, bem como os equipamentos de freio das duas composições que se chocaram.Vítima - A única vítima fatal no acidente de ontem, Paula Marisângela Milnverestet, de 27 anos, será enterrada hoje, na zona leste da capital. Atingida pelas ferragens, Paula teve politraumatismo e não resistiu. Ela estava grávida de seis meses. O corpo de Paula será velado na residência de sua família, em São Miguel Paulista, às 13 horas, para depois ser enterrado no Cemitério da Saudade, às 16h30, no mesmo bairro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.