Lucas Rezende/Futura Press
Lucas Rezende/Futura Press

Cratera causa congestionamento em Botafogo, Ipanema e na Lagoa Rodrigo de Freitas

Buraco de 6 metros de diâmetro foi provocado pelo rompimento de uma tubulação de água e esgoto

Clarissa Thomé, O Estado de S. Paulo

24 de fevereiro de 2014 | 19h33

RIO - O rompimento de uma tubulação de água da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) abriu uma cratera de seis metros de diâmetro no cruzamento das Ruas Miguel Lemos e Barata Ribeiro, em Copacabana, zona sul do Rio, na madrugada desta segunda-feira, 24. As duas vias foram fechadas para obras, provocando engarrafamento por toda a zona sul – houve reflexos em Botafogo, Lagoa Rodrigo de Freitas e Ipanema. O secretário municipal de Transportes, Carlos Roberto Osório, recomendou que a região seja evitada pela população.

O vazamento começou por volta da 1 hora. Pelo menos dois prédios foram invadidos pela água – portarias, garagens ficaram inundados. Em um dos edifícios, a água atingiu o poço de elevadores, que foram interditados.

Funcionários da Cedae começaram a escavar o local às 8 horas e ainda não haviam alcançado o ponto do vazamento às 12 hras. A companhia fez manobras na rede para distribuir a água que seguiria para a tubulação rompida. A previsão é de que o conserto seja concluído somente na madrugada desta terça-feira, 25.

As vias ainda terão de ser recapeadas. As rotas dos ônibus que passam ali foram alteradas. Não deve haver desabastecimento de água na região, segundo a assessoria de Imprensa do órgão -– a expectativa é de que a água retida nas cisternas dos prédios seja suficiente para suprir a necessidade dos moradores até que o reparo tenha sido concluído. A empresa não sabe o que provocou o vazamento.

Na semana passada, a prefeitura havia recomendado que o Centro do Rio fosse evitado, por conta na mudança de mão da Avenida Rio Branco e da alteração de rotas e pontos de 200 linhas de ônibus.

Tudo o que sabemos sobre:
Crateracongestionamentoágua

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.