Crea-RJ mantém cassação de registro do engenheiro de parque de diversões

Profissional teve o registro cassado em agosto do ano passado por negligência

estadão.com.br, texto atualizado às 19h20

06 Fevereiro 2012 | 15h06

SÃO PAULO - O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio de Janeiro (Crea-RJ) decidiu nesta segunda-feira, 6, manter a cassação do registro do engenheiro mecânico Luis Soares Santiago. Ele era o responsável técnico do Parque Gloria Center, no Recreio dos Bandeirantes, na zona oeste da cidade, onde duas pessoas morreram após falha em um dos brinquedos em 2011.

O profissional havia entrado com recurso, após ter o registro cassado em agosto do ano passado pela Câmara de Engenharia Mecânica do Crea-RJ, por negligência, imprudência e imperícia.

Dos 58 conselheiros que participaram da votação, que durou aproximadamente 45 minutos, 49 apoiaram a manutenção da decisão anterior, dois foram contrários à cassação e sete se abstiveram de votar. O engenheiro tem 60 dias para recorrer da decisão junto ao Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea). O engenheiro e seu advogado não compareceram a votação.

Acidente. No dia 14 de agosto de 2011, parte do brinquedo "Tufão" se soltou no parque. Alessandra Aguilar, de 17 anos, morreu após ser atingida por um dos carrinhos. O adolescente Victor Alcântara Oliveira, de 16, chegou a ser levado para o Hospital Miguel Couto com traumatismo craniano, mas morreu dois dias depois.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.