Cremado corpo de passageiro que morreu esperando vôo

Foi cremado no final da tarde deste domingo em Porto Alegre o corpo do engenheiro e empresário Luiz Fernando Ferrari Mosca, 54 anos. Ele morreu no sábado pela manhã em Curitiba, vítima de um enfarto, após passar a noite à espera de um vôo da Gol para a capital gaúcha. Dono da Ibracon, empresa fabricante de sistemas de automação industrial e predial, Mosca estava em Curitiba a negócios. No final da tarde de sexta-feira, ele foi ao Aeroporto Afonso Pena para voltar a Porto Alegre, onde era esperado pela família. Na esperança de ver o tráfego aéreo liberado, após a greve dos controladores ter paralisado todos os aeroportos do País, optou por passar a noite no saguão. Durante a madrugada, ao sentir-se mal, procurou o posto médico do aeroporto e foi encaminhado ao Hospital Santa Cruz, no centro de Curitiba, onde morreu durante o atendimento. O corpo foi transportado para Porto Alegre por via terrestre e só chegou na manhã deste domingo. A família não se manifestou sobre as circunstâncias em que a morte ocorreu e não informou se buscará algum tipo de indenização na Justiça.

Agencia Estado,

01 Abril 2007 | 19h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.