Cresce procura por empresas de segurança pessoal

Casos como o seqüestro de Patrícia Abravanel e de seu pai, o empresário e apresentador Silvio Santos, servem de alerta para quem pode estar na mira de crimes como esses ou de assaltos.Empresas de segurança pessoal registraram aumento na procura dos serviços e de palestras sobre prevenção de situações de risco.Os atentados terroristas nos Estados Unidos também incentivaram multinacionais americanas a incrementarem a segurança dos executivos. A maioria dos clientes procura cursos teóricos sobre comportamento em cidades violentas como São Paulo."Ensinamos o executivo a tomar cuidados que reduzem a possibilidade de seqüestro", afirma o gerente-geral da Pires Segurança, Edson Galvão de França."Também explicamos como administrar e reduzir os prejuízos físico, emocional e patrimonial, nessa ordem." Nas palestras, os clientes aprendem como funciona a mentalidade do criminoso. Galvão salienta que é importante não reagir nem fazer nada que pareça uma ameaça ao assaltante, como olhá-lo fixamente ou conversar muito com ele. Apesar da ocorrência de crimes em que as vítimas são parentes da pessoa-alvo, as empresas ainda consideram baixa a procura de serviços para esse público."É um erro pensar que só o executivo é alvo e não os filhos ou a mulher. Mas isso ocorre bastante", afirma o gerente de proteção executiva da Guarda Patrimonial de São Paulo, Wagner Magno Rossano."Geralmente ele assiste à explicação e fala: ´Minha mulher, meu filho precisam saber disso´", diz Galvão. Há também cursos práticos, com aulas de tiro e direção defensiva. Boa parte dos alunos é funcionário e motorista de empresas ou empresário. "Saber a agenda do cliente e o itinerário é fundamental para o serviço", diz, sem se identificar, o motorista de uma multinacional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.