Crescem reclamações contra policiais em SP

As reclamações contra policiais civis e militares que trabalham na cidade de São Paulo cresceram em 2007, conforme a Ouvidoria da Polícia. Ao comparar as duas corporações nos últimos quatro anos, a Polícia Militar foi a mais "problemática". As queixas contra os 23.388 PMs que trabalham na capital saltaram de 852 para 1.044. Entre 2004 e 2007, houve queda significativa nos números da Polícia Civil. Mas a tendência foi quebrada no ano passado, quando foram registradas 580 reclamações, ante 555 em 2006. A situação foi pior em 2005 - 750 queixas. Entre as principais reclamações estão má qualidade no atendimento, indisciplina e homicídio. "Cada corporação tem a sua função distinta. Por isso, as queixas contra policiais civis são relativas ao atendimento. Enquanto na PM, que tem o trabalho ostensivo, pesam mais as denúncias envolvendo violências e mortes", disse o ouvidor Antonio Funari Filho.As Polícias Civil e Militar responderam que o aumento das denúncias deve-se a uma "maior conscientização da população", que aos poucos vai conhecendo os órgãos em que podem reclamar. O ouvidor tem opinião contrária. "A Ouvidoria já é uma instituição consolidada. Ela tem 15 anos. Foi o decreto de número 1 assinado pelo então governador Mário Covas", disse Funari.Funari afirmou que os relatórios e as tabelas serão analisadas pela Ouvidoria. Ele disse que as queixas são recebidas e "filtradas". Se as reclamações tiverem fundamento, um expediente é aberto para que sejam investigadas mais a fundo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.