Crescimento preocupa moradores da Rocinha

O crescimento desordenado da Rocinha assusta. Há um ano, um muro de 3 quilômetros de extensão começou a ser construído para impedir que a favela se expandisse, invadindo a Floresta da Tijuca. "Estamos caminhando para o caos", acredita José Luiz de Sousa Lima, do grupo idealizador do centro histórico da favela. "Precisamos discutir planejamento urbano, saúde, saneamento básico e educação. Não existe política pública."Apesar de ser considerada uma das melhores e mais caras favelas da cidade, ainda se vêem esgoto ao ar livre e crianças trabalhando para o tráfico de drogas. Mesmo assim, para viver ali chega-se a pagar R$ 600,00 de aluguel (preço de umapartamento de dois quartos) - mais do que em muitos prédios da zona sul. Os nordestinos, maioria, não param de chegar. "Brincamos que para cada Kombi de mudança que sai chegam cinco", diz Lima.Comércio - De acordo com a pesquisa da Associação Comercial e Industrial do Bairro da Rocinha (Acibro), feita há dois anos, existem 1.215 empreendimentos cadastrados. A boateEmoções, na Estrada da Gávea, mantém-se há anos como principal atrativo à noite. Foi para o Emoções que o popstar da Rocinha, o cantor Charlys, cujo primeiro CD vendeu 10 mil cópias, jáatraiu mais de 4 mil pessoas. Ele chegou ainda criança do Recife começou a cantar aos 18 anos e hoje, aos 30, já tem casa própria na Rocinha. "Minha vida é aqui, não dá para cortar oslaços", afirma.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.